Artigos de Filipe Daniel

Lisboa, 1999. Tenta encontrar respostas através do Palco. Vê o teatro como um aliado da história e filosofia para resolver (ou não) os problemas do mundo.
7 de junho, 2022 0

Cinema Medo, No Cinema São Jorge
0 (0)

Por Filipe Daniel

Todo um espetáculo de aproximadamente 1 hora tenta fazer um exercício de psicologia duplo, se por um lado vivemos e analisamos a frustração da personagem principal e todos os seus momentos: quem era, como morreu, quem são os seus demónios, por outro é exercício pessoal de entrar e lidar com o medo de cada espectador,

25 de maio, 2022 0

GAC ou o Paradoxo do Contemporâneo
0 (0)

Por Filipe Daniel

O Artista contemporâneo que age em estilo de guerrilha, isto é, em pequenos grupos, ou individualmente, não pertencente a um grande exército/grupo ideológico-estético, sem grandes afinidades pelas convenções. O GAC, pelo seu trabalho contínuo é aquele que não para de interpelar, numa urgência de comunicar e de se fazer entender, quer com perguntas, respostas, sensações ou perspetivas. Está nele subjacente a ideia que “a cultura é uma arma, quanto mais sabes, mais defendido estás”

3 de março, 2022 0

Paraíso- A Divina Comédia
0 (0)

Por Filipe Daniel

Este Paraíso é uma atitude crítica de João Brites face ao desenho religioso do Paraíso, um local que será sempre estático em que a auto reflexão é a única possível, uma auto-psicanálise portanto, mas sem ser possível fazer alterações às nossas futuras ações.

8 de fevereiro, 2022 0

Terra Nullius
0 (0)

Por Filipe Daniel

Somos chamados a iniciar Terra Nullius junto ao rio Tejo, precisamente num local de mera passagem, é de Lisboa bem sabemos, mas bem que poderia ser de ninguém, tal como são a Antártida, Bir Tawil ou os corpos celestes. Ali estamos, um pequeno grupo entre o Porto de Lisboa com as imponentes gruas Poderosa e Vigorosa

30 de julho, 2021 0

Coleção de Espectadores: O teatro somos nós
0 (0)

Por Filipe Daniel

Se o teatro serve para pensar a sociedade, para provocar emoções, reforçar ou destruir regimes políticos, criar estereótipos ou destruí-los está muito bem, mas o desafio deixado é algo tão simples quanto olhar em volta e perceber quem somos nós enquanto espectadores de teatro, e tomar consciência de quem nos rodeia, é perceber que há mais teatro além do espetáculo.

23 de julho, 2021 0

Uma Casa de Bonecas
0 (0)

Por Filipe Daniel

Uma Casa de Bonecas do norueguês Henrik Ibsen continua a fazer sentido, continua a gritar no século XXI que já não estamos no século XIX, em que atitudes machistas e patriarcais já estão ultrapassadas, e este espetáculo com esta encenação quer-nos relembrar disso.