Marie EvB Gibbons, a Artista de Denver que Moldou uma Geração de Estudantes Artes & contextos marie evb gibbons a denver artist who shaped a generation of students

Marie EvB Gibbons, a Artista de Denver que Moldou uma Geração de Estudantes

24 de janeiro, 2020 0 Por Artes & contextos
Modo Noturno

Na imagem em destaque, uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery em Denver
Todas as fotos de Andrew Morton

Marie EvB Gibbons

 

Quando um artista morre, o seu trabalho permanece. Mas se for também um educador, o seu legado é transmitido através da próxima geração de artistas. Esta transferência de conhecimento é evidente entre Marie EvB Gibbons, um pilar da comunidade artística de Denver que faleceu inesperadamente em setembro, e os seus ex-alunos. Uma retrospectiva dos seus trabalhos em barro está actualmente em exibição numa exposição intitulada TOUCHed na Plinth Gallery em Denver.

Jonathan Kaplan, o proprietário da Plinth Gallery, disse ao Hyperallergic que a maioria das pessoas que vêm ver a exposição são fãs e estudantes de arte que ela orientou durante os últimos 20 anos. Gibbons estava profundamente comprometida com a educação artística: a artista autodidata organizou workshops, deu aulas e realizou eventos comunitários no seu ateliê.

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

O trabalho de Gibbons é lúdico, porém sombrio, e contém elementos reconhecíveis. Ela usava ceras, tintas, e resina para conseguir sombras e textura nas suas peças de barro, e incorporava objetos encontrados e matéria orgânica nos seus trabalhos. Uma peça da colecção “Pins and Needles” mostra uma cabeça de bebé de olhos azuis, pesarosa, com uma almofada de alfinetes na parte lateral da cabeça. Como todas as peças de Gibbons, esta “cabeça de alfinete” foi completada com acabamentos de redução pós-queima.

Uma das últimas peças que Gibbons completou antes da sua morte consiste em duas figuras de oito centímetros em barro, sem braços (representando os seus dois filhos) em pé com as pernas rígidas, um de cada lado de uma figura semelhante (representando a própria Gibbons) deitada num sofá. Esta peça encarna a sua prática de usar moldes comerciais de bonecas e fundição por deslizamento para depois alterar as suas superfícies.

As cabeças nostálgicas das bonecas convidam o espectador a entrar, mas um olhar mais atento revela uma aparência um pouco sinistra. Numa entrevista em 2018, Gibbons afirmou que o seu objetivo ao usar esta técnica era “combater o que é suposto ser perfeito”.

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

Uma obra em barro de Marie EvB Gibbons da colecção privada dos seus filhos, na Plinth Gallery, em Denver

Gibbons começou a trabalhar com argila há 25 anos com raku e a seguir passou dos acabamentos em forno para a exploração dos acabamentos com outros elementos.

Gibbons foi inspirada pelo seu avô para ser artista e às vezes ajudava-o a gerir o seu quiosque de cerâmica à beira da estrada.

Depois de “passear” por diferentes meios, Gibbons resolveu declarar-se artista.

Disse numa entrevista: “Eu não sabia nada sobre a vida de artista, o trabalho, os como, onde, o quê”. Então comecei a olhar à minha volta, a observar a arte, a procurar artistas, e com coragem suficiente para entrar e dizer: ” Olá, eu também sou artista”. Caí num grupo de artistas que estava a iniciar uma nova galeria cooperativa. Encontrei o meu lugar, os meus pares, os meus professores, a inspiração e, acima de tudo, a permissão para ser”.

 

O legado de Gibbons é um exemplo de que um artista pode ser mais do que peças instaladas numa galeria – a maior dádiva de um artista pode ser a forma como ajudou a moldar a comunidade que o rodeia.

 

O artigo original Marie EvB Gibbons, a Denver Artist Who Shaped a Generation of Students foi publicado @Hyperallergic
The original article Marie EvB Gibbons, a Denver Artist Who Shaped a Generation of Students appeared first @Hyperallergic

Este artigo foi traduzido do original em inglês por Redação Artes & contextos

Talvez seja do seu interesse: Sara Biassu: la representación de lo intangible

Artes & contextos
Últimos artigos de Artes & contextos (exibir todos)
Open Call Artes & contextos