Os 10 Maiores Concertos dos R.E.M. Artes & contextos r e m s 10 greatest concerts

Os 10 Maiores Concertos dos R.E.M.

10 de abril, 2020 0 Por Artes & contextos
Modo Noturno

R.E.M.

 

Os R.E.M. celebram o 40º aniversário do primeiro espectáculo ao vivo, com o falecido baterista Bill Rieflin, no pensamento.

Há quarenta anos, neste fim-de-semana, Kathleen O’Brien teve uma festa de aniversário inesquecível.

A velha igreja dessacralizada na Oconee Street, estava cheia de jovens da cena artística de Atenas, Geórgia, que queriam embebedar-se, curtir uns com os outros e assistir a uma apresentação da banda local The Side Effects. Mas enquanto tudo o resto sobre essa noite se perdeu há muito tempo numa névoa alcoólica, toda a gente passava as décadas seguintes a falar do desleixado e anónimo primeiro grupo, que apresentava uma série de covers demasiado rápidas e salpicadas nalguns originais patetas de rock de garagem.

Foi o primeiro espetáculo daquela banda. Duas semanas mais tarde, eles instalar-se-iam com o nome “R.E.M.”.

A partir desses primórdios modestos e encharcados em cerveja, os R.E.M. viriam a tornar-se uma das maiores bandas de rock do mundo. Esgotaram os estádios, fizeram manchetes de festivais e apresentaram o mundo a bandas como Radiohead, Wilco, e The National.

Aqui estão 10 dos mais lendários, ridículos e inacreditáveis espetáculos que eles realizaram.Alguns já foram oficialmente lançados enquanto outros estão por aí, se souber onde procurar.


10. The Uptown Lounge Athens, Georgia — 12 de fevereiro de 1985

Alguns dias antes de começarem a trabalhar no Fables of the Reconstruction, os R.E.M. encheram o Uptown Lounge em Atenas com o novo material. Sob o nome You (ideia de Peter Buck), estrearam clássicos futuros como Life and How to Live It, Maps and Legends, e Can’t Get There From Here – juntamente com uma versão de Under My Thumb dos Rolling Stones.

Setlist: “Feeling Gravitys Pull”, “Hyena”, “Maps and Legends”…


09. Tyrone’s OC, Athens, Georgia — 23 de julho de 1981

Apesar da atual reputação da banda como artistas sérios e socialmente conscientes, os seus primeiros concertos em Atenas foram festas de arromba. Este espectáculo é um dos melhores da época. Não só surgem as primeiras versões de músicas como Murmur, Reckoning e o EP Chronic Town, como também tocam um monte de pérolas inéditas, como That Beat, Hey Hey Nadine e Narrator, pouco antes de serem postas na prateleira, em favor de material mais sofisticado.

Setlist: “Hey Hey Nadine”, “Burning Down”, “Dangerous Times (Cher cover)”…

Nota do Editor: O áudio acima é meramente indicativo de espectáculos e setlists da época.


08. Muziekcentrum Vredenburg, Utrecht, Holanda — 14 de setembro de 1987

O “Work Tour” de 1987 encontrou os R.E.M. na perspectiva de se tornarem super-estrelas globais. Tinham acabado de lançar o seu quinto álbum, Document, e conseguiram o seu primeiro sabor a sucesso mainstream com The One I Love. Esta é apenas a segunda data da digressão, e pode sentir-se a urgência à medida que ripam hinos políticos como Finest Worksong, These Days, e Exhuming McCarthy.

Mas depois da intensidade do set principal, o encore final contém um dos seus mais belos momentos ao vivo – um medley despojado de Time After Time (AnnElise) e So. Central Rain  que usa trechos da Red Rain de Peter Gabriel.

Pode-se ouvir o espetáculo na reedição do 25º Aniversário de Document, mas o medley de encerramento completo (lançado como Time After Time, etc.) só pode ser ouvido no single Finest Worksong.

Setlist: “Finest Worksong”, “These Days”, “Lightnin’ Hopkins”…


07. The Olympia Theatre, Dublin, Irlanda — 30 de junho de 2007

Os ensaios no Olympia Theatre em Dublin serviram como botão de “reset” para uma banda que se encontrava à beira do colapso. Pela primeira vez em anos, eles estavam soltos e a divertir-se, deixando de lado os sucessos a favor de temas profundos como 1.000.000 e Letter Never Sent que não eram apresentadas ao vivo há décadas. Claro que o objetivo desses espetáculos (que, a banda insistiu repetidamente que não eram “shows”) era passar o novo material que tinham trabalhado para Accelerate. Canções como On the Fly e Staring Down the Barrel of the Middle Distance podem não ter sido o corte final do álbum, mas é possível ouvir selecções deste espectáculo e muito mais no Live at the Olympia de 2009.

Setlist: “Living Well’s the Best Revenge”, “Staring Down the Barrel of the Middle Distance”, “Second Guessing”… 


06. Kingpin’s Bowl and Brew, Athens, Georgia — 8 de outubro de 2005

Por uma noite em 2005, o “Spare Room” no Kingpin’s Bowl and Brew foi palco da maior banda de casamentos de todos os tempos. Para celebrar as núpcias do guitarrista DeWitt Burton, Peter Buck, Mike Mills e Michael Stipe reuniram-se com o baterista original Bill Berry para um conjunto de sete temas clássicos da era I.R.S. –  como Begin the Begin, Radio Free Europe e Wolves, Lower”

05. The 40 Watt Club, Athens, Georgia — 19 de novembro de 1992

Os R.E.M. actuaram dezenas de vezes no 40 Watt Club ao longo dos anos, mas o seu espetáculo de beneficência para o Greenpeace em 1992 tem a distinção de ser o único espetáculo digno da era do Automatic for the People.

Eles foram uma das maiores bandas do mundo, jogando-o numa velha cidade assombrada. Este reportório apresenta a estranha versão eléctrica de Drive, a estreia ao vivo de Man on the Moon, e algumas versões de Iggy Pop e The Troggs. Todo o set foi gravado num estúdio móvel movido a energia solar (naturalmente) e lançado como “B-sides” para singles da era Monster.

Setlist: “Drive”, “Monty Got a Raw Deal”, and “Everybody Hurts”…


04. The Borderline, Londres, Inglaterra — 15 de março de 1991

Os R.E.M. não fizeram uma digressão Out of Time. Mas quando se encontraram no Reino Unido para participar em acções promocionais e precisaram de justificar vistos de trabalho, organizaram um par de espectáculos secretos num clube com capacidade para 200 pessoas como “Bingo Hand Job”. Cada membro recebeu um pseudónimo (Michael Stipe era “Stinky”) e a eles juntaram-se os convidados especiais Billy Bragg, Robyn Hitchcock, e Peter Holsapple para longos conjuntos acústicos que tiraram muito partido de Out of Time e Green, bem como covers peculiares de canções de Bob Dylan, John Prine, Hitchcock, e Suzanne Vega. Os bootlegs destes espectáculos têm tido grande circulação, mas no ano passado a banda lançou canções seleccionadas como um exclusivo para o Record Store Day.

Setlist: “World Leader Pretend”, “Half a World Away”, “Fretless”…


03. The Omni, Atlanta, Georgia — 21 de novembro de 1995

Após o ano traumático que tiveram com o aneurisma cerebral de Bill Berry, a hérnia de Michael Stipe e a adesão intestinal de Mike Mills, ninguém teria culpado os R.E.M. por coxearem na linha de chegada da sua digressão de 1995. Mas o espectáculo final da sua jornada multi-noite no The Omni, em Atlanta, foi uma vitória que se revelou um êxito estrodoso. Eles tocaram a maioria de Monster, cinco canções do ainda não lançado New Adventures in Hi-Fi e fecharam com um alegre e triunfante cover de Wild Thing.

Ninguém podia imaginar que seria o seu último verdadeiro concerto com Bill Berry atrás do grupo, mas foi uma incrível canção do cisne para o alinhamento original dos R.E.M

Setlist: “What’s the Frequency, Kenneth?”, “Crush with Eyeliner”, “Drive”…


02. The Fox Theatre, Atlanta, Georgia — 13 de novembro de 1989

Depois de terminar a digressão histórica de 1989, a banda regressou à Geórgia para liderar um evento de beneficência para a Legal Environmental Assistance Foundation no icónico Teatro Fox de Atlanta. Mas em vez de o tratarem como apenas mais um espectáculo, apresentaram Murmur e Green na sua totalidade, costas com costas. Isto não só significou que tocaram raridades como Hairshirt e Eleventh Untitled Song, como também foi a primeira e única vez que tocaram The Wrong Child ao vivo.

Setlist: “Radio Free Europe”, “Pilgrimage”, “Laughing”…


01. Barrymore’s Music Hall, Otava, Canadá — 17 de agosto de 1985

O espectáculo dos R.E.M. no Barrymore’s Music Hall começou como em qualquer outra noite da digressão de 1985. Eles abriram com Feeling Gravitys Pull, tocaram algumas músicas de Murmur e Reckoning, e depois as coisas rapidamente se descontrolaram quando um grupo de bêbados provocou uma cena. Mike Mills e Peter Buck ameaçaram membros do público, Michael Stipe começou a insultar o gosto da multidão, e a banda começou a tocar um segundo conjunto de covers que variava de Sweet Home Alabama a The Lion Sleeps Tonight.

Depois de 37 temas, regressaram para o encore com Carnaval de Sorts (Boxcars) e chamaram-lhe noite.

Setlist: “Begin the Begin”, “Radio Free Europe”, “Wolves, Lower”…


O artigo original R.E.M.’s 10 Greatest Concerts foi publicado @ Consequence of Sound
The original article R.E.M.’s 10 Greatest Concerts, appeared first @ Consequence of Sound

Este artigo foi traduzido do original em inglês por Redação Artes & contextos


Talvez seja do seu interesse: The Man Who Shot All of Minneapolis’ Sounds


Artes & contextos
Últimos artigos de Artes & contextos (exibir todos)
Open Call Artes & contextos