Eléonore Deshayes

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração
0 (0)

1 de março, 2022 0 Por Artes & contextos
  • 4Minutos de leitura
  • 1026Palavras

Eléonore Deshayes

 

 

“[A pintura] antes de ser um cavalo de batalha, uma mulher nua, ou uma qualquer história, é essencialmente uma superfície plana coberta de cores reunidas em determinada ordem(1) ”.

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos 2

Eléonore Deshayes, Composition I , Óleo sobre tela, 73x60cm – 2019 © Eléonore Deshayes

 

As paisagens de Eléonore Deshayes são o resultado de um processo preciso. A artista começa a trabalhar a partir das suas próprias fotografias amadoras de paisagens, tiradas durante viagens ao redor do mundo. Estas fotografias são retrabalhadas digitalmente para criar um “catálogo de visuais” a partir de elementos selecionados. Esboços e desenhos são utilizados para sintetizar estes fragmentos antes, numa terceira e última fase, à elaboração dos trabalhos de paisagem.

A ferramenta fotográfica, essencial ao projeto artístico, encoraja o jogo entre figuração e abstração dos efeitos de tamanho, borrão, transparência, sobreposição, planicidade e profundidade de campo. Isto é particularmente verdade para esta artista que conseguiu emancipar-se do chamado domínio da perspetiva para afirmar a presença do plano pictórico estruturado à maneira de uma tapeçaria. Desde o início, a lente impõe uma moldura face à imensidão da natureza, o que torna impossível medir e definir a nível humano. Desde o início, impõe pormenores e pormenores. Desde o início, anuncia a montagem. Desde o espaço real percebido pelo olho atrás da lente até ao espaço ilusório pintado pela mão e pela mente na tela.

Eléonore Deshayes multiplica – possivelmente infinitamente – esta primeira fragmentação tomando, recolhendo e reunindo fragmentos de natureza heterogénea. Por outras palavras, a artista utiliza o mundo real como um reportório de cores, formas, motivos e texturas para extrair, misturar e depois recompor. Uma paisagem autónoma, totalmente nova e original é então recriada. Uma peça de natureza sintética, irreal, fabricada pela memória inchada com imagens mentais. Uma manta de retalhos, poder-se-ia dizer, um mosaico, uma junção de imagens. Um décor, no sentido nobre do termo.

As paisagens envolvem o exercício mental, visual e até espiritual. A artista projeta sobre a tela as suas visões interiores livremente reinventadas. As cores brilhantes, ácidas, por vezes vaporosas e planas colorem as formas, e as escalas, proporções e orientações variam, sem depender sempre das regras da natureza. O espectador não é deixado de fora neste assunto. Ele também é livre de imaginar. Por sua vez, ele pode projetar a sua memória visual e pôr estas paisagens congeladas em movimento. As sinuosidades ou gotas de tinta guiam o olho enquanto este vagueia ao longo de sulcos e ranhuras que o levam para fora do campo palpável. O trabalho transporta a mente do espectador para além do espaço pictórico, de modo a ativar a sua memória sensorial e, por sua vez, experimenta esta “matéria hiperafectiva”. A paisagem não existe na natureza. É sempre constituída pelo sujeito. Antes dele e fora dele, a paisagem não pode existir.

Eléonore Deshayes alimenta-se de uma tradição iconográfica a fim de se afastar dela. A paisagem é apenas um pretexto para a riqueza da experimentação plástica e a busca do conhecimento que isto implica necessariamente. A paisagem torna-se um território de apropriação e recreação que é ao mesmo tempo pessoal e universal. Uma unidade múltipla que reconstitui toda a abundância, fertilidade e generosidade das extensões naturais capturadas e depois entregues em pedaços em lona.

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos .jpg

Eléonore Deshayes, Presqu’île,  Óleo sobre tela, 100x100cm – 2017 © Eléonore Deshayes

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos 1

Eléonore Deshayes, Nuit écarlate , Óleo sobre tela, 100x100cm – 2018 © Eléonore Deshayes

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos 3

Eléonore Deshayes, Mise à jour,  Díptico – Óleo e pastel sobre tela – 130x170cm (130x85cm x2) – 2019 © Eléonore Deshayes

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos 4

Eléonore Deshayes, Nébuleuse, Óleo, pastel e carvão sobre tela – ø80cm – 2019 © Eléonore Deshayes

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos 5

Eléonore Deshayes, Les belles herbes , Óleo, pastel, carvão e tinta sobre tela – 80x100cm – 2019 © Eléonore Deshayes

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos 6

Eléonore Deshayes, Météores , Óleo e grafite sobre tela – 30x30cm – 2020 © Eléonore Deshayes

 

Eléonore Deshayes entre figuração e abstração Artes & contextos eleonore deshaye

Eléonore Deshayes, Eau blanche , Óleo, tinta e carvão sobre tela – 27x22cm – 2020© Eléonore Deshayes

 

Eléonore Deshayes

Eléonore Deshayes, Encre rouge n°5 , Tinta sobre placa de polipropileno – 50x40cm – 2021 © Eléonore Deshayes

 

(1) Maurice Denis, Definition of neo-tradicionalism (1890) citado por Joseph Mashek, em The carpet paradigm: critical prolegomena to a theory of flatness.

Estas palavras pertencem a Maurice Denis, líder dos “Nabis”», para quem a pintura teve de romper com a tradição do cavalete, ou seja, a representação ilusória da perspetiva, para juntar-se a algo mais específico do meio pictórico. Mas o que é uma pintura senão uma tela plana ou superfície plana na qual cores, padrões e formas são afixados a partir de um determinado arranjo? Só então essa montagem plana pode mostrar algo além da simples matéria pictórica: uma personagem, uma paisagem, objetos que jogarão com um efeito de planicidade-profundidade que o meio pictórico permite (porque trata-se de manifestar ostensivamente, sem a ilusão de perspetiva, as possibilidades que abundam no meio pictórico). Nisso, a pintura é, portanto, como um tapete ou uma tapeçaria, não retomando nem mais nem menos o aspecto estrutural do plano colorido. Também nisto, a pintura é destinada a ser decorativa, é uma “decoração”.

 

Este artigo foi traduzido do original em francês por software

Ajuda-nos a manter o Artes & contextos gratuito, livre e sem publicidade pelo meio dos artigos


O artigo original Eléonore Deshayes , foi publicado @ BOUM!BANG!
The original article Eléonore Deshayes , appeared first @ BOUM!BANG!


Talvez seja do seu interesse:  A Pintura da multifacetada Barbara Norris

0

Como classificas este artigo?

Assinados por Artes & contextos, são artigos originais de outras publicações e autores, devidamente identificadas e (se existente) link para o artigo original.

Jaime Roriz Advogados Artes & contextos