Categoria: Atelier

26 de fevereiro, 2015 0

Gil Bentes- A Arte na Rua

Por Rui Freitas

Despertou-me a atenção o imaginário fantasmagórico de parte das composições, a elegância dos traços e a coerência cromática da aguarela. Os monstros imaginados poderiam ter sido arrancados do sombrio imaginário de Algernon Blackwood, mas, (ou e), comportam uma indisfarçada presença de humor negro. Percebe-se um surrealismo com pendor neo-romântico e até pitadas de gótico.

9 de outubro, 2014 0

Museu do Chiado – MNAC

Por Rui Freitas

O visitante de um museu é por momentos um ser privilegiado que respira o ar onde amadurecem os poemas, os romances, os dramas, as memórias, as angústias e as ilusões dos artistas que aí têm as suas obras, arrancadas à História e oferecidas ao mundo.