TOCAR VIOLINO A DANÇAR OU A DANÇA DO VIOLINO Artes & contextos playing violin while dancing

TOCAR VIOLINO A DANÇAR OU A DANÇA DO VIOLINO
0 (0)

6 de dezembro, 2022 0 Por Artes & contextos
  • 5Minutos de leitura
  • 1270Palavras

A Dança do Violino

‍‌

Este artigo foi traduzido do original por software
This article was translated from the original by software


A arte da música e a arte da dança estiveram sempre ligadas desde tempos antigos. Podemos até perguntar a nós próprios qual deles veio primeiro, a música ou a dança.
Mas é nos tempos modernos que muitos violinistas têm tentado fundir ambas as artes para criar uma única actuação. Nomes como Lindsay Stirling, Máiréad Nesbitt e Hanine irão certamente aparecer em qualquer busca sobre a dança do violino.

É natural para todo o intérprete mover-se em conjunto com a música sempre que toca um instrumento. Não importa se é um piano ou um violino, os movimentos estão sempre presentes como uma forma natural de expressão.

Contudo, nunca se esperará que um violinista classicamente treinado comece a dançar durante o Rondo de um concerto de violino de Mozart ou durante a Allemande de uma Sonata Solo de Bach.

Obras semelhantes a estas foram frequentemente destinadas a serem executadas em salas especiais, mas nunca para serem dançadas. No entanto, só recentemente é que a dança de violino – a arte de tocar violino enquanto se dança – se tornou uma coisa mais popular.

 

video
play-rounded-fill

 

Alguns violinistas estrelas desempenharam definitivamente um papel muito importante na popularização desta arte, e inspiraram muitos outros artistas a seguir os mesmos passos e também a ganhar reconhecimento internacional através dos meios de comunicação social.

Para este artigo escolhemos três nomes que obtiveram milhões de visualizações no YouTube e que certamente influenciaram muitos outros violinistas modernos a fazerem as suas próprias interpretações, quer em grandes palcos com todos os efeitos de luz e som, quer nas ruas com um grande fluxo de pessoas.

Os três nomes que gostaríamos de vos apresentar são a americana Lindsey Stirling, a libanesa Hanine, e a irlandesa Máiréad Nesbitt.

A violinista norte-americana Lindsey Sterling começou a transmitir as suas performances no seu canal no YouTube em 2007. Com mais de 3 biliões de visualizações, ela atrai diariamente muitos assinantes para o seu canal no YouTube.
Embora tivesse talento tanto para tocar como para dançar desde criança, teve de escolher entre dançar ou tocar violino devido às condições financeiras da sua família. Ela escolheu o violino, mas o sonho de se tornar bailarina nunca morreu.

 

Dança do Violino

Lindsey Stirling

 

Embora ela faça parecer fácil fazer as duas coisas em simultâneo, a estrela violinista que ficou internacionalmente conhecida depois da sua actuação no programa America’s Got Talent afirma que no início fazer as duas coisas ao mesmo tempo era uma tarefa muito difícil.

Nas suas próprias palavras:

 

“É muito antinatural dançar enquanto se toca violino. Tive de praticar tão arduamente para aprender a fazê-lo, mas agora faz parte da minha expressão e vem naturalmente. Tenho de conhecer perfeitamente uma canção antes mesmo de poder começar a mexer-me. Quando conheço uma canção muito bem, posso então divertir-me a dançar”.

De facto, a falta de naturalidade de tocar e dançar ao mesmo tempo vem da necessidade do violinista de manter o equilíbrio do instrumento, não perdendo o controlo do arco.

À medida que o corpo se move, a sincronia entre o arco e o instrumento deve ser mantida. Cada pequena alteração na pressão ou velocidade do arco pode produzir ruídos indesejados e pode afectar negativamente o desempenho.
Também é necessária uma boa dose de coordenação para mover ambas as mãos e ambas as pernas em sincronia. Muito menos em movimentos específicos, como no hip-hop e dubstep, dois géneros que Lindsey Stirling já domina.

Igualmente difíceis são os movimentos para a dança celta, que se tornaram popularizados pela violinista bailarina Máiréad Nesbitt.

 

Dança do Violino

Máiréad Nesbitt

 

A violinista irlandesa Máiréad Nesbitt ganhou reconhecimento internacional após ter tocado com o grupo Celtic Woman, um grupo bem sucedido de artistas femininas.

Tendo começado a aprender música desde muito cedo, o seu estilo foi fortemente influenciado por violinistas como as irlandesas Liz Carroll e Michael Coleman, e a artista de jazz Stephane Grappelli. Ao contrário de Lindsey, os movimentos de Máiréad em palco vêm mais naturalmente, uma vez que ela afirmou uma vez que eles

 

“sempre foram uma coisa natural a fazer. Eu não seria capaz de fazer movimentos muito coreografados nos meus solos. Eu só faço o que faz sentido para mim”.

Talvez os vídeos que mais chamaram a atenção do público devido a estas peformances enérgicas sejam Celtic dueling violins  e também uma colaboração com os Harp Twins, onde tocam Kid ar an Sliabh, o primeiro com mais de 20 milhões de visualizações e o segundo com mais de 10 milhões de visualizações.

 

video
play-rounded-fill

 

Nomeada Emmy e Grammy, ela chama a atenção de músicos e não-músicos de todo o mundo.
Não só os artistas ocidentais ganharam popularidade no mundo da dança de violino, mas também os artistas do Médio Oriente.

O melhor exemplo é Hanine, a violinista libanesa com centenas de milhões de visualizações no YouTube, talvez mais famosa pelo seu vídeo Arabia, violin dance and show.

Ela é vencedora de prémios como a melhor violinista libanesa. Talvez o segredo da sua popularidade, para além de todo o seu talento, seja a fusão de elementos ocidentais e orientais nas suas interpretações.
Tendo começado a aprender violino aos 9 anos de idade, ela foi influenciada por muitos artistas ao longo da sua vida, como ela afirma:

 

“As minhas influências vêm de diferentes lugares. A minha música é uma mistura entre cantores americanos e músicos árabes. Devo dizer que alguns dos mais influentes para mim são Abboud Abed El Aal e o violinista Nazir Mawwas”.

 

video
play-rounded-fill

 

Hanine classifica as suas capacidades como talento, e ao cont6rário de Sterling e Nesbbit, diz que a dança para ela é uma mistura de talento e estudo.
E isto é o que podemos ver nos seus vídeos altamente coreografados, onde as suas capacidades são definidas pelo público como deslumbrantes.

Estas três mulheres, Stirling, Nesbitt e Hanine, definiram uma nova abordagem ao mundo do violino.
E não só dançando, mas também compondo a sua própria música, na qual se podem expressar mais profundamente e atrair atenções em todo o mundo, fazendo com que a sua arte tão impressionante pareça ao mesmo tempo natural e precisa aos olhos dos espectadores.

Tais capacidades não foram certamente facilmente adquiridas, mas exigiram anos e anos de formação, dando-lhes fama e reconhecimento mundial.


Este artigo foi traduzido do original por software
This article was translated from the original by software

Considera, por favor fazer um donativo ao nosso site.
Ajuda-nos a não depender da publicidade para continuarmos a partilhar Arte mantendo o Artes & contextos livre.
Podes também ajudar-nos ao subscreveres a nossa Newsletter e acompanhando-nos no Facebook, no Twitter e no Instagram


O artigo original Playing Violin While Dancing: The Violin Dance, foi publicado @ CMUSE – Classical
The original article Playing Violin While Dancing: The Violin Dance, appeared first @ CMUSE – Classical


Talvez seja do seu interesse:  OS 12 VIOLINOS MAIS CAROS DE TODOS OS TEMPOS

0

Como classificas este artigo?

Assinados por Artes & contextos, são artigos originais de outras publicações e autores, devidamente identificadas e (se existente) link para o artigo original.

Jaime Roriz Advogados Artes & contextos