Elvis, o filme de Baz Luhrmann Artes & contextos Elvis Cartaz

Elvis, o filme de Baz Luhrmann
0 (0)

1 de julho, 2022 0 Por António Lourenço
  • 2Minutos de leitura
  • 502Palavras

Elvis

 

O célebre Maestro americano Leonard Bernstein afirmou que Elvis Presley foi a grande força cultural do século XX, e não outros.

O realizador Baz Luhrmann, explora no seu filme a conjetura da vida e da música de Presley, focando-se na relação extremamente complexa, com o seu enigmático empresário o “coronel” Tom Parker (Tom Hanks), posto aquele, que seria falso. É aliás em torno deste que a narrativa mais se foca, fazendo realçar o seu vício no jogo, as suas fraudes e a forma como se apropriava de metade das royalties do artista que representava.

O filme inicia-se com um Tom Hanks, enquanto Tom Parker, obeso e de charuto, para nos mostrar a sua descoberta na obscuridade de um Elvis, desde muito jovem, até ao seu estrelato e a criação do superlativo ícone e apelidado de “Rei” do Rock and Roll!

 

Elvis, o filme de Baz Luhrmann Artes & contextos Elvis ii 2

Tom Hanks e Austin Butler em Elvis (2022)

 

Durante a infância do cantor este visitava os locais dos cantos e ritmos dos grupos afroamericanos, enraizando-se na música soul, com a qual vibrava freneticamente. Mais tarde já adulto, essa chama vai despoletar-se e repercutir-se nas suas criações. Com uma soberba fotografia,  repleta com adereços e figurinos Kitsch , a camara dá-nos planos, inúmeras vezes e bem evidentes do seu modo típico e sofisticado de dançar, com uma das pernas em swing e focando a pélvis, enquanto cantava, o que arrancava múltiplos gritos de escaldante histerismo vindos do público.

O ator Austin Butler, que interpreta o papel de Elvis, nasceu em 1991, na Califórnia, tendo-se tornado popular através de vários papeis em canais televisivos juvenis. Durante um ano estudou canto, para vir a interpretar primeiramente as músicas de um Elvis jovem, após o que as suas são misturadas com as gravações reais de Elvis Presley.

 

Elvis

Austin Butler e Olivia DeJonge em Elvis (2022)

 

A mãe do ‘rei’ é interpretada por Helen Thomson, galardoada no teatro, que está sempre a contrariar o filho e raramente ou nunca o elogia. No papel do pai temos Richard Roxburgh, e na paixão da sua vida, Priscila Presley, Olivia de Longe, completa o elenco principal. O supervisor musical é Anton Monsted e o compositor Elliot Wheeler. A fotografia teve lugar na Austrália.

A morte prematura, aos 42 anos do cantor, foi atribuída à mistura tóxica de medicamentos opiáceos e outros, que sustentadamente ingeria, embora um médico o tenha tentado camuflar em memória da família.

Belo filme de 2:30h,  projetado em écrans Imax e normal, com um ritmo heterogéneo, de planos rápidos e elipses, com a camara ‘à boleia do olhar’ colmatando a verossimilhança, do ator que interpreta, o mítico Elvis.

Considera, por favor fazer um donativo ao nosso site.
Ajuda-nos a não depender da publicidade para continuarmos a partilhar Arte mantendo o Artes & contextos livre.
Podes também ajudar-nos ao subscreveres a nossa Newsletter e acompanhando-nos no Facebook, no Twitter e no Instagram

Elvis , no IMDB


Talvez seja do seu interesse: O Rei do Riso, de Mario Martone

0

Como classificas este artigo?

Melómano e cinéfilo inveterado com décadas a ver e ouvir o que de melhor foi e é Produzido e Realizado no Cinema, Teatro e Canto Lírico.

Jaime Roriz Advogados Artes & contextos