Os Putos, Jorge Rebelo Artes & contextos

Jorge Rebelo, Realidade! Mito ou Ficção
0 (0)

20 de agosto, 2021 0 Por Olivia da Costa
  • 4Minutos de leitura
  • 1119Palavras
Também o tempo torna tudo relativo

Este artigo foi inicialmente publicado há mais de 1 ano, o que em 'Tempo Internet' é bastante. Pode estar desatualizado.

 

Jorge Rebelo

 

 

Realidade…

São as telas os pincéis e as tintas

Que se misturam numa magia de vida

Numa pintura surreal.

Arte e vida se fundem

Mitos, ficções e realidades se acrescentam

Da Atlântida de Platão (1)  aos animais fantasmagóricos de Júlio Verne (2)  

Pego num desmoronamento sem poder escapar da realidade!

Me pergunto

Onde começa a realidade e termina a ficção

Até onde vai a minha imaginação….

Jorge Rebelo, transforma as telas em pedaços de história.

Sim história!

História dos homens que sonham mais além,

Que não têm medo da sua loucura e da busca incessante

No interior da sua alma por algo mais além da realidade.

E se questionam.

Não será a realidade, apenas um mito

Que se constrói na azafama da ficção do dia a dia!

Realidade! Mito ou Fição.

 

Jorge Rebelo

Jorge Rebelo

(1) por exemplo nas telas seguintes: Atlântida, Expresso da Atlântida e Golfinhos da Atlântida.

atlantida.jpg

Atlântida, Jorge Rebelo

 

expreso d atlantica.jpg

Expresso da Atlântida, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

golfinhos da atlantica.jpg

Golfinhos da Atlântida, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

(2) Por exemplo nas telas seguintes: Veredito, Torneio de pesca em local errado, A grande caçada, Viagem ao futuro, Os Bichos, entre outros.

veredito.jpg

Veredicto, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

torneiro de pesca em local errado.jpg

Torneio de Pesca em local errado, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

a grande caçada.jpg

A grande caçada, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

viagem ao futuro.jpg

Viagem ao futuro, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

os bichos.jpg

Os bichos, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

Jorge Rebelo, Surrealista, cada obra sua vai muito mais além do da técnica, do desenho e da pincelada (que tão bem domina), cada tela encerra em si uma mensagem muitas vezes irónica, mas atual.

Podemos ver temas  como o Ambiente e o seu relacionamento com Homem. Presente nas telas: Intervenção, O ultimo refugio, onde a questão dos incêndios que no verão que todos desejamos e ansiamos nos traz tanto desespero e angustia; Intervenção Urgente o que nós seres humanos tão superiores na nossa arrogância e egoísmo nos esquecemos de cuidar do bem mais precioso que temos a vida, A expurgação, Sob as garras e A colheita do século XXI uma alusão clara ao ditado popular “colhemos aquilo que semeamos”.

 

INTERVENÇÃO.jpg

A intervenção, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

o ultimo refugio.jpg

O último refugio, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

intervenção urgente.jpg

Intervenção urgente, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

a expurgação.jpg

A expurgação, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

sob as garras.jpg

Sob as garras, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

a colheita do sec xxi.jpg

A colheita do século XXI, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

Algumas até parecem previsões como em Protejam o Ambiente,  uma alusão clara aos tsunamis, tivemos o caso ainda tão fresco na memória no dia 29 de julho o terremoto no Alasca de magnitude 8.2.

 

protejam o ambiente.jpg

Protejam o ambiente, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

Mas nem tudo é cinzento, apesar das suas composições serem bastante coloridas, também temos mensagens de esperança como nos Os putos, onde apesar de toda a destruição o ser humano, principalmente as crianças se adaptam, transformam e brincam, mesmo sem telemóvel; em O girassol  e a diversão em o  Surfinho  que integra o Bilhete-postal Inteiro lançado pelos CTT- Correios de Portugal em 2019 numa promoção do Turismo do Oeste de Portugal.

 

os putos.jpg

Os putos, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

o girasol.jpg

O girassol, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

48123088_2268590143211789_8052073436635201536_n.jpg

Surfinho, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

Um dia em conversa perguntei-lhe donde lhe vinha a inspiração, como pensava os temas, mas como bom artista que é e surrealista de gema respondeu-me: apenas sonhava, divagava, deixava a imaginação vaguear livremente nos seus pensamentos, não questionava seguia apenas o impulso. A sua obra não se fica só por estas telas, há mais muito mais, podia ficar aqui eternamente; mas deixo ainda esta tela que acho que representa, o que fomos, o que somos e o que ainda vamos ser – Peregrinos. A peregrina

 

a peregrina.jpg

A Peregrina, acrílico S/tela, Jorge Rebelo

 

Somos todos peregrinos neste mundo….

“Peregrino da Luz, . . .  da paz, . . . da esperança”

e tu mulher, esposa, mãe, filha, neta, sobrinha e tantos outros nomes!

“no mais intimo do teu ser…vês as alegrias do ser humano, quando peregrina . . . ”

“. . . vê as dores da família humana que geme e chora neste vale de lágrimas”

Tu mulher, felina!

“adorna-nos do fulgor de todas as jóias da tua coroa e faz-nos peregrinos como peregrina foste”,  és e serás sempre por toda a eternidade!

percorres, com a alma humana, todas as rotas,

e com o coração nas mãos, vais derrubando todos os muros e vencendo todas as fronteiras,

mulher,

Peregrina de e em todos os caminhos!

 

20023830_1521980611206083_816860264131781345_o.jpg

Desenho – estudo da obra A peregrina, Jorge Rebelo

 

20045519_1521978917872919_4431323738095008091_o.jpg

Desenho – estudo da obra A peregrina, Jorge Rebelo

 

Mas quem é o artista por detrás das obras?

Jorge Rebelo, nasceu em novembro de 1952 na cidade de Lisboa. Arroiano (aluno da António Arroio, Lisboa), o seu percurso profissional foi sempre ligado às artes tendo trabalhado como Mestre na Seção de “Arte e Publicidade” da C.C.F. de Lisboa (Companhia de Carris de Ferro de Lisboa). É Doutor Honoris Causa em belas Artes, pela Reitoria do Centro Sarmathiano de Altos Estudos Filosóficos e Históricos, Brasil; premiado e medalhado tanto em solo português como internacionalmente.

Ajuda-nos a manter o Artes & contextos gratuito, livre e sem publicidade pelo meio dos artigos


Talvez seja do seu interesse: Mafalda D’Eça – Artista plástica

0

Olívia Maria da Costa
Como classificas este artigo?
Autora

Arquitecta de formação e de paixão, também escrevo palavras sobre arte, exposições, artistas, galerias, museus… sobre o momento, sobre que me apetece seja em prosa, poesia ou misto das duas.

Jaime Roriz Advogados Artes & contextos