“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha Artes & contextos infinite cantabria by okuda san miguel in faro de ajo spain

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

30 de outubro, 2020 0 Por Artes & contextos
Modo Noturno

Infinite Cantabria

 

Okuda San Miguel terminou a intervenção artística, “Infinite Cantabria”, em Faro de Ajo.

O artista começou esta intervenção a 24 de agosto, segunda-feira e agora tornou-se agora uma realidade. A intervenção artística havia sido encomendada já há alguns meses pela Autoridade Portuária de Santander e pela Câmara Municipal de Bareyo. O resultado final é este farol que agora brilha com mais de 70 cores, capturadas pelo artista nas paredes cilíndricas da torre, que vão para além dos 16 metros de altura.

“Tem sido uma experiência única, não só pelos desafios artísticos que encontrei, mas também por ter sido um projeto que realizei na minha terra natal,” diz o artista espanhol.

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

The Faro de Ajo intervened by Okuda San Miguel has become a unique symbol: it is the first lighthouse to be artistically intervened along the entire Spanish coast, and this has been carried out in such a way which also respects its original function of assisting ships as a maritime signal.

O Faro de Ajo modificado por Okuda San Miguel tornou-se um símbolo único: é o primeiro farol a receber uma intervenção artística em toda a costa espanhola, e as alterações foram feitas de tal forma que o farol mantém a sua função original ao assistir os barcos como sinalizador.

O artista escolheu um tema que alude à riqueza presente na natureza da região, é representada a fauna local e, através das texturas, a diversidade cultural duma Cantábria atual e aberta, ligada ao mundo. “Infinite Cantabria” é mais um marco na carreira de Okuda. Este acontecimento ocorreu ao mesmo tempo que as exposições do artista em Guangzhou (China) e em Los Angeles (Estados Unidos). Visto que é o primeiro farol a sofrer uma intervenção artística em Espanha, levou novamente a que se refletisse entre uma abordagem mais tradicional relativamente à arte nos espaços públicos e a perspetiva reformada e transformativa que o artista defende.

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

A dualidade entre o passado e as suas tradições em comparação com o futuro e a novidade, tem sido um tema sempre muito presente nas representações artísticas de Okuda. Exemplos disto são: Iglesia Skate (Igreja Skate) em 2015, Falla de Valencia em 2018 e agora Faro de Ajo, que é atualmente um símbolo que permite a iluminação da incerteza do presente através da cor.

Disponibilizar a arte e deixar as cores apoderarem-se de locais novos de modo a chegar a mais pessoas é algo positivo e necessário. E, tendo em conta as condições em que o mundo se encontra, não há melhor altura ou local, se não farol, para iluminar o que está para vir.

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

“Infinite Cantabria” de Okuda San Miguel em Faro de Ajo, Espanha

Fotos de Beatriz Carretero & Omar H. Garcia

Este artigo foi traduzido do original em inglês por Ashely Claudino

O artigo original foi publicado em @StreetArtNews
The original article appeared first @StreetArtNews


Talvez seja do seu interesse: Insurrecta de Gonzalo Borondo, em Segóvia


Artes & contextos
Últimos artigos de Artes & contextos (exibir todos)
Open Call Artes & contextos