Operação Eye in The Sky Artes & contextos Operação Eye in the Sky

Operação Eye in The Sky
0 (0)

1 de abril, 2016 0 Por Gigi Manzarra
  • 2Minutos de leitura
  • 482Palavras
Também o tempo torna tudo relativo

Este artigo foi inicialmente publicado há mais de 6 anos - o que é muito em "Tempo Internet". Pode estar desatualizado e pode ter incongruências estéticas.

Um filme de espionagem e suspense, que nos prende à cadeira e faz o tempo passar sem sentir. Excelente argumento com atores de muita qualidade.

Os bastidores de uma ação de captura de terroristas, que a certo ponto se vê transformada em operação para matar. A dificuldade em tomar decisões sob pressão e o receio de assumi-las. A interligação de três países (Inglaterra, Estados Unidos e Quénia) contra o terrorismo e a constatação de como é complicado escolher entre o matar e não deixar morrer. A tecnologia avançada, sem sentimentos, comandada por homens com emoções. A guerra de armas que se assemelham a brinquedos inocentes, controlados à distância, mas que destroem com tiros certeiros e reais.

Operação Eye in The Sky Artes & contextos 52c96c35c30d11cfb13711cfa4231ac4 L

Em Londres, a coronel britânica Katherine Powell (Hellen Mirren), integrante da Inteligência Militar, é encarregada de comandar à distância, a operação Cobra, uma missão ultrassecreta. Uma mulher fria e decidida, que usa todos os meios para atingir o objetivo desejado.

Colocaram à sua disposição a tecnologia necessária, para poder monitorar e capturar elementos importantes do perigoso grupo de terroristas somali, Al Shabab, em Nairobi, no Quénia. O alvo principal, era Aisha Al Hady, (Lex King), uma cidadã britânica que se juntou ao grupo, depois de casar com um deles. Em Nevada, nos Estados Unidos, o piloto americano Steve Watts, (Aaron Paul), operava remotamente, o drone, que sobrevoava solo queniano.

Em Londres, numa sala de reuniões, o General Frank Benson (Alan Rickmann), responsável pelas decisões das Forças Armadas britânicas reunia-se com altos dignatários do governo, que tinham sido convidados para assistir à captura do grupo através da vigilância de drones.

A missão complica-se, no momento em que não conseguem identificar a mulher de burka, que entra na residência. Não pode haver erros e, é necessária, uma mudança de atitude. Resolvem, então, colocar em campo, um espião queniano, para não levantar suspeitas.

Como os terroristas têm segurança a guardar o local, o rapaz infiltra-se entre os vendedores de uma feira e consegue chegar muito perto. Fingindo vender baldes, senta-se no chão e começa o controlo remoto de um escaravelho mecânico que voa até ao interior do esconderijo.

Considera, por favor fazer um donativo ao nosso site.
Ajuda-nos a não depender da publicidade para continuarmos a partilhar Arte mantendo o Artes & contextos livre.
Podes também ajudar-nos ao subscreveres a nossa Newsletter e acompanhando-nos no Facebook, no Twitter e no Instagram

O “inseto”, com uma camara de filmar, transmite a imagem de todos os quartos, para a Coronel, o General, o piloto do drone e o General queniano. A confirmação é feita, ao mesmo tempo que descobrem homens com coletes cheios de explosivos. Tudo muda!

É preciso, em instantes, receber uma nova ordem…

 

 

País: Reino Unido
 Género: Drama
 Estreia: 31-03-2016
 Realização: Gavin Hood
 Elenco: Aaron Paul, Alan Rickman, Barkhad Abdi, Helen Miren, Ian Hart, Kim Engelbrecht, Phoebe Fox
 Argumento: Guy Hibbert
 Produção: Ged Doherty, Colin Firth, David Lancaster

 

 

Como classificas este artigo?
Jaime Roriz Advogados Artes & contextos