Macbeth Artes & contextos Macbeth I

Macbeth
0 (0)

24 de abril, 2016 0 Por Gigi Manzarra
  • 2Minutos de leitura
  • 441Palavras
Também o tempo torna tudo relativo

Este artigo foi inicialmente publicado há mais de 6 anos - o que é muito em "Tempo Internet". Pode estar desatualizado e pode ter incongruências estéticas.

Machbeth, um dos personagens mais inquietantes de William Shakespeare, uma tragédia baseada num regicídio, o que o envolveu e suas consequências. Ambição versus Caráter!

Macbeth (Michael Fassbender), Senhor de Glamis, é um valente guerreiro que luta na linha da frente, sem medo de arriscar a vida pela sua Pátria, a Escócia. Um líder que se desvirtua ao convencer-se que tudo o que conquistou é muito pouco para as suas potencialidades.

Após uma violenta batalha, cansado e com o corpo manchado de sangue, vê entre as brumas, três estranhas mulheres. Aproxima-se e escuta da boca das três bruxas, duas profecias que há muito o faziam sonhar:

– Serás tornado Senhor de Crawdor e, um dia serás Rei.

E, sem lhe dar possibilidade de qualquer pergunta, desapareceram envoltas no mesmo nevoeiro de onde tinham aparecido.

Pouco tempo se passou para que a primeira profecia se cumprisse, o que o levou a acreditar, piamente, que também a segunda se concretizaria.

Desabafa os seus desejos, numa carta que escreve a Lady Macbeth (Marion Cotillard), sua mulher e alma gémea, por quem nutre um imenso amor e cumplicidade. Recebe da parte dela, além de um total apoio, uma estratégia muito bem arquitetada para proceder ao regicídio e assim, poder ocupar o trono. Ao voltar para casa, acertam os últimos detalhes e o destino do rei fica, definitivamente, nas suas mãos. Apesar de transparecer segurança, Macbeth ainda hesita e tenta desistir, mas a mulher, ambiciosa, apela à sua virilidade, e consegue levar avante o intento.

Macbeth II

Uma noite, entra no silêncio da tenda onde o rei dormia, aproxima-se devagar e sem piedade, desfere-lhe vários golpes com a faca até o sentir sem vida…

Com o rei, morrem também os princípios que regiam o caminho do guerreiro, Macbeth. A alma, até então, leal e companheira, transforma-se numa máquina de desejos de poder e vingança, em que vale tudo para chegar ao destino escolhido, nada o detém.

A partir dessa altura, uma ambição desmedida envolve todos os seus pensamentos e assiste-se assim, à falência da amizade, dos limites razoáveis e dos valores morais. Já não havia em si, qualquer sentimento, a não ser a nociva semente do poder.

Considera, por favor fazer um donativo ao nosso site.
Ajuda-nos a não depender da publicidade para continuarmos a partilhar Arte mantendo o Artes & contextos livre.
Podes também ajudar-nos ao subscreveres a nossa Newsletter e acompanhando-nos no Facebook, no Twitter e no Instagram

Lady Macbeth começa a surpreender-se com o homem violento que vive a seu lado e apercebe-se que a ambição se transformou em loucura. Triste e desiludida, arrepende-se de ter ido tão longe.

Mas para lá de alguns limites, não há retorno…

 

Nomeado para a Palma de Ouro de 2015.

Como classificas este artigo?
Jaime Roriz Advogados Artes & contextos