Demolição Artes & contextos Demolição

Demolição
0 (0)

21 de abril, 2016 0 Por Gigi Manzarra
  • 2Minutos de leitura
  • 371Palavras
Também o tempo torna tudo relativo

Este artigo foi inicialmente publicado há mais de 6 anos - o que é muito em "Tempo Internet". Pode estar desatualizado e pode ter incongruências estéticas.

Um automóvel, uma estrada, um casal bonito e bem-sucedido, um diálogo alegre.

De repente…. Um estrondo e tudo fica escuro e em silêncio.

Davis Mitchell (Jake Gyllenhaal), um jovem e realizado banqueiro de investimentos, com uma posição invejável na empresa do sogro Phill (Chris Cooper), acorda, agora, sentado num banco do hospital, com a notícia de que a mulher acabara de morrer. Não consegue exteriorizar qualquer sentimento de dor. Levanta-se e dirige-se à máquina de venda automática. Mete a moeda e vê o saco ficar preso, impedido de sair. Reclama com o funcionário do hospital e é aconselhado a fazê-lo com a empresa, proprietária da máquina.

Sai do hospital como se fosse um autómato. Não chora, não fala, não reage.

Ao chegar a casa, concentra-se a escreve uma carta de reclamação, como se fosse o ato mais importante no momento. Além de contar a falha da máquina, desabafa sobre a sua vida e a perda da mulher, mas quase de uma maneira instintiva. Os dias passam e não obtém resposta, o que o leva a escrever mais algumas cartas dentro do mesmo estilo.

A chefe do serviço de apoio ao cliente Karen Mareno (Naomi Watts) lê as cartas e emociona-se de tal maneira, que resolve entrar em contacto com ele fora do horário comercial, donde nasce um relacionamento improvável de amizade e carinho. Davis visita-a e conhece o seu filho, Chris (Judah Lewis), um adolescente excêntrico e cheio de dúvidas em relação à sua orientação sexual.

Considera, por favor fazer um donativo ao nosso site.
Ajuda-nos a não depender da publicidade para continuarmos a partilhar Arte mantendo o Artes & contextos livre.
Podes também ajudar-nos ao subscreveres a nossa Newsletter e acompanhando-nos no Facebook, no Twitter e no Instagram

Demolição II

Tanto Davis como Chris, estão num momento caótico das suas vidas, unem a raiva e a desilusão de uma forma explosiva e Davis parte para a destruição literal, de tudo o que o liga a uma vida anterior, que desesperadamente tenta deixar para trás. De repente no cocktail de dor e destruição, parece que tudo deixou de fazer sentido, ele próprio incluído.

Mas ao recomeçar do zero, não terá ficado mesmo nada?

 

 Realização: Jean-Marc Vallée
 Argumento: Bryan Sipe
 Com: Jake Gyllenhaal, Chris Cooper, Naomi Watts

 

Como classificas este artigo?
Jaime Roriz Advogados Artes & contextos